sábado, 31 de julho de 2010

Puzzle








Olha que ideia bem interessante para usar o cartaz da unidade. Colando caixinhas de fósforo e depois cortando vira um puzzle bem divertido para criançada brincar durante a aulinha e com certeza vai ajudar a memorizar a história.

terça-feira, 27 de julho de 2010

Antes de existirem os números

  • Hoje em dia não conseguimos viver sem números: para telefonar, para contar, para nos identificarmos, etc.

  • Mas já alguma vez te deste ao trabalho de pensar como é que apareceram, de onde surgiram e como foram utilizados pela primeira vez?

  • Na matemática, os números servem para descrever uma quantidade ou medida e surgiram exactamente pela necessidade de contar algo.

  • No início, a humanidade não necessitava de "grandes contagens". As pessoas precisavam apenas de saber o número de membros do seu pequeno grupo e pouco mais.

  • Para o ser humano mais primitivo, contar era uma coisa que se fazia sem pensar, porque não era preciso contar muito.

  • Nesse tempo, os grupos humanos eram caçadores-colectores, ou seja, quase não tinham posses e sobreviviam retirando da natureza tudo o que necessitavam.

  • No entanto, conforme foi evoluindo e deixando de vaguear em busca de sobrevivência, o ser humano começou a plantar os seus alimentos, a criar animais domesticados, a construir casas, etc.

  • Devido a estas alterações, os seres humanos começaram a sentir necessidade de fazer contagens cada vez mais complicadas que os levaram à criação de sistemas.

  • Estes sistemas permitiam-lhes: contar dias (até à próxima colheita), contar quantidades de mantimentos, contar pessoas (que pertencem à tribo), contar animais (do rebanho), etc.

  • Cada povo e cada cultura criou o seu próprio sistema de contagem: quer utilizando os dedos, quer fazendo riscos nas paredes, contando pedrinhas e nós em cordas ou até criando um sistema mais complexo que envolvesse símbolos.

  • Sabias que a palavra calcular vem do Latim calculus?
    Calculus significa "pequena pedra (ou seixo) usado para contar".
    É que, inicialmente, as contas faziam-se muito com a ajuda de pedras.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Jogo da Memória





Olha que ideia bem legal para preparar para as crianças depois da palavra podemos fazer este jogo com as figuras da história e com isso elas vão fixar melhor o que foi dito e sem contar que vão ajudar a desenvolver a memória.

sábado, 24 de julho de 2010

Sabias que, como criança, tens direitos?

  • Em 1959 a ONU (Organização das Nações Unidas) escreveu e aprovou a "Declaração dos Direitos da Criança".

  • Esta declaração é composta por 10 artigos, muito simples, que dizem respeitos ao que podes fazer e ao que as pessoas responsáveis por ti devem fazer para que sejas feliz, saudável e te sintas seguro.

    (É claro que tu também tens responsabilidades para com as outras crianças e para com os adultos para que também eles gozem dos seus direitos.)

  • Vamos conhecer os 10 princípios da "Declaração..."?

  • Princípio 1º
    Toda criança será beneficiada por estes direitos, sem nenhuma discriminação de raça, cor, sexo, língua, religião, país de origem, classe social ou situação económica. Toda e qualquer criança do mundo deve ter seus direitos respeitados!

  • Princípio 2º
    Todas as crianças têm direito a protecção especial e a todas as facilidades e oportunidades para se desenvolver plenamente, com liberdade e dignidade. As leis deverão ter em conta os melhores interesses da criança.

  • Princípio 3º
    Desde o dia em que nasce, toda a criança tem direito a um nome e uma nacionalidade, ou seja, ser cidadão de um país.

  • Princípio 4º
    As crianças têm direito a crescer e criar-se com saúde. Para isso, as futuras mães também têm direito a cuidados especiais, para que seus filhos possam nascer saudáveis. Todas as crianças têm também direito a alimentação, habitação, recreação e assistência médica.

  • Princípio 5º
    Crianças com deficiência física ou mental devem receber educação e cuidados especiais exigidos pela sua condição particular. Porque elas merecem respeito como qualquer criança.

  • Princípio 6º
    Toda a criança deve crescer num ambiente de amor, segurança e compreensão. As crianças devem ser criadas sob o cuidado dos pais, e as mais pequenas jamais deverão separar-se da mãe, a menos que seja necessário (para bem da criança). O governo e a sociedade têm a obrigação de fornecer cuidados especiais para as crianças que não têm família nem dinheiro para viver decentemente.

  • Princípio 7º
    Toda a criança tem direito a receber educação primária gratuita, e também de qualidade, para que possa ter oportunidades iguais para desenvolver as suas habilidades.
    E como brincar também é uma boa maneira de aprender, as crianças também têm todo o direito de brincar e de se divertir!

  • Princípio 8º
    Seja numa emergência ou acidente, ou em qualquer outro caso, a criança deverá ser a primeira a receber protecção e socorro dos adultos.

  • Princípio 9º
    Nenhuma criança deverá sofrer por negligência (maus cuidados ou falta deles) dos responsáveis ou do governo, nem por crueldade e exploração. Não será nunca objecto de tráfico (tirada dos pais e vendida e comprada por outras pessoas).
    Nenhuma criança deverá trabalhar antes da idade mínima, nem deverá ser obrigada a fazer actividades que prejudiquem sua saúde, educação e desenvolvimento.

  • Princípio 10º
    A criança deverá ser protegida contra qualquer tipo de preconceito, seja de raça, religião ou posição social. Toda criança deverá crescer num ambiente de compreensão, tolerância e amizade, de paz e de fraternidade universal.


  • Se tudo isto for cumprido, no futuro as crianças poderão viver em sociedade como bons adultos e contribuir para que outras crianças também vivam felizes!

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Figuras do Bom samaritano






Desenhos que ilustram a parábola do bom samaritano, para ajudar durante a aulinha

terça-feira, 20 de julho de 2010

Atividade para aulinha


Sabe o que é isso? São desenhos preenchidos com palitos!
Não é uma idéia diferente para fazer com as crianças durante a aula, elas terão de fazer um contorno e preenchê-lo com palitos usando cola, pode-se até fazer uma brincadeira dizendo que o melhor trabalho ganha um brinde, e assim eles desenvolverão a imaginação. Bjns espero que gostem

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Consagração das Tias do Norte

Parábola do Bom Samaritano


O Senhor Jesus nos ensina uma grande lição sobre o amor ao próximo. De que adianta frequentar a igreja e ostentar o título de cristão, se não amamos o nosso próximo? O amor é a essência da nossa vida espiritual; nossa religiosidade torna-se vã.

O Samaritano esqueceu-se de si mesmo para ajudar o homem ferido. Tudo ficou para trás: a viagem, os negócios, o perigo de assaltantes, só para ajudar aquele homem ferido. Jesus também fez o mesmo por nós. Ele deixou o céu e veio à terra para salvar o que estava perdido, doente e ferido. O samaritano não quis saber quem era o necessitado, sua religião, sua nação. Quando temos o amor de Deus servimos bem a todos, sem interesse em qualquer recompensa.
O bom samaritano foi movido pelo amor ao próximo e fez o seu melhor para um desconhecido, sem se importar com as consequências.



Dica da internet


sexta-feira, 16 de julho de 2010

Apresentação dos fantoches das tias

Apresentação de Famalicão

Apresentação de Rio Tinto

Apresentação de São João da Madeira

Apresentação de Póvoa do Varzim




Apresentação de Paredes



Oração pela EBI que venceu a gincana
Paredes e recebimento dos prémios



Homenagem das Crianças da EBI de Famalicão
para as tias 

terça-feira, 13 de julho de 2010

Consagração de Tias do Porto




No passado dia 11 de julho pelas 15h, na igreja do Porto foi feita a consagração de tias educadoras, onde se lembrou acerca da necessidade de ajudar espiritualmente as crianças que diariamente chegam às salinhas da EBI, muitas delas vítimas de violências e desrespeitos que ocorrem, às vezes, dentro de suas próprias casas. Certamente as educadoras da EBI não se esquecerão desse dia. E tiveram a unção do sr. Bp. Fernandes e a imposição de mãos da D. Elisabete. Foi uma tarde abençoada, e todas saíram de lá renovadas.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Um carinho para todas as nossas educadoras..

Um carinho para todas as Educadoras.
Mensagem do Bispo Macedo para as tias

Obrigado a todas as Educadoras da EBI do Norte!!!

Parábola do cego que guia outro cego


Temos as duas interrogações sobre o cego que guia outro cego. É possível que, originalmente, fosse dirigida aos fariseus tidos como guias de uma doutrina que desorientava o povo. Lucas a aplicaria também aos discípulos, os quais deveriam entender melhor a missão de Jesus. Ao estarem bem formados não deverão pretender ser maior do que Jesus. A segunda interrogação é feita com uma comparação usando o exagero: o cisco ou a trave no olho. Em vez de ficar procurando defeitos nos irmãos, é importante que se faça a sua autocrítica. Assim, com humildade, se está preparado para, com lucidez e amor, fazer a correção fraterna do irmão. 
Dica da internet

sábado, 10 de julho de 2010

Atividade: Juiz Malvado

Eis os visuais da Unidade 1 dando continuidade ao assunto das Parábolas

desta vez: A Parábola do Juíz Malvado

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Não, a violência doméstica!

O que você tem sido para o seu filho?

A violência se constitui atualmente um em dos mais graves problemas de saúde pública. Esse fenômeno se observa no Brasil e em diversos outros países. Segundo Yunes & Rajs (1994), no período de 1979 a 1990, Brasil, Colômbia e Cuba apresentaram uma tendência francamente crescente da mortalidade por causas externas em todos os grupos de idade, especialmente entre indivíduos de 10 a 24 anos. Segundo os autores, Colômbia, Brasil, Panamá, Porto Rico e Venezuela destacam-se na mortalidade por homicídios ou lesões intencionalmente aplicadas, sobretudo entre jovens e adolescentes. Em nosso país, a violência contra crianças e adolescentes ganha contornos dramáticos. As diversas formas de causas externas são as principais responsáveis pelas mortes de crianças a partir de cinco anos, estendendo à adolescência seus funestos e mortais efeitos.

Photobucket

Contudo, além da violência que leva à morte, convivemos de modo cotidiano e oculto com várias outras formas de vitimação. A violência doméstica ou intrafamilar é, sem dúvida, responsável por milhares de crianças e adolescentes vitimados no País.

FAÇA A SUA PARTE, DENUNCIE!

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Mensagem as crianças e pré-adolescentes

Ser filho(a) é uma responsabilidade grande dada a todos os seres humanos, pois você já nasce carregando um nome, um referencial, uma pessoa..seu pai ou mãe, ou ambos.
Ultimamente, a maioria das noticias no jornal envolve a família, e muitas são os pais que aparecem chorando e se perguntando 'o que eu fiz para merecer isso??"
Os filhos(as), muitas vezes não percebem que o peso das decisões influenciam direto ou indiretamente os responsáveis. Isso fica evidente na vida dos famosos.. já que até a roupa que os filhos deles usam viram noticia.
E isso não é diferente na nossa vida.Talvez tu não apareças naqueles programas de fofoca, ou nas paginas da revista... mas são comentário na mesa da família vizinha, na sala dos professores, no local de trabalho, na roda de amigos.. tanto dos seus amigos, quanto dos seus pais.
Por esta razão, muitas vezes seus pais exigem tanto a tua cautela com as amizades, roupas, estilo de vida, modo de falar e etc.. porque eles já passaram por situações em que tu estás hoje e eles não querem que  cometas os mesmos erros..

quarta-feira, 7 de julho de 2010

terça-feira, 6 de julho de 2010

A importância do exercício físico na infância

CCEB / Portal da Criança


Com a vida dos tempos actuais, as crianças praticam menos actividades físicas do que antigamente. Trocar a piscina pelos jogos das consolas, o futebol pela internet, a conversa em roda com os amigos pelo telemóvel são atitudes cada vez mais normais entre todos nós e também entre os mais pequenos. No entanto, está comprovado que o exercício, não apenas através de um desporto, mas de brincadeiras e jogos, promove a coordenação motora e o desenvolvimento intelectual.
Estudos mostram que o desporto e a prática de actividades físicas são duas coisas distintas: actividades como andar de bicicleta, correr, dançar, brincar à apanhada ou esconde-esconde, são diferentes de aulas de futebol, voleibol, basquete, ginástica, ou natação por exemplo.
Entre os benefícios desses exercícios, estão o reportório motor e a capacidade de se desenvolver como ser humano.

A criança quando joga com os colegas, aprende regras e transfere-as para o convívio social. Elas aprendem a respeitar os outros. Além disso, é importante receber os estímulos que as actividades físicas produzem no corpo e na mente, porque motivam a auto-estima e o poder de realização.
O período da infância pode ser dividido em duas fases: a chamada Primeira Infância pode ser classificada por crianças até aos 4 anos e a Segunda Infância dos 4 aos 10 anos. Nesses dois períodos as actividades indicadas por especialistas são diferentes:

- A partir dos 6 meses, o bebé já pode praticar na natação, brincar, fazer actividades acompanhadas por tutores. É recomendado pelos médicos que façam isso.

- Até aos 4 anos, a criança ainda não sabe interagir completamente, por isso o ideal é praticar qualquer desporto que exija mais a individualidade, como ballet, judo e natação.

- Num segundo momento, as actividades terão um carácter mais recreativo e o ideal é partir para jogos em equipas como futebol, voleibol, basquete ou rugby.
É importante não esquecer de separar duas a quatro horas por dia, três a quatro vezes por semana, para praticar exercícios físicos (incluindo hobbies e desportos), pois é a dose considerada adequada certa para se ter uma infância saudável.
Tudo o que é em excesso pode fazer mal à saúde, principalmente às crianças, que estão em fase de formação. Por isso, os pais devem evitar que os seus filhos exagerem na quantidade. Às vezes, demasiada expectativa sobre as crianças tem efeitos contrários e elas perdem o prazer de frequentar aulas de educação física, por exemplo. No entanto, quando as crianças dão sinal que gostam de um desporto, os pais devem estimular tendo cuidado com o nível de exigência que lhes imprimem.
A competição é vista por muita gente de uma forma negativa, no entanto, o problema não é a competição em si, mas sim como trabalhá-la na criança. A competição é um elemento fundamental para o jogo, tanto para desportos quanto para brincadeiras e actividades. Devemos apenas ponderar até que ponto a cobrança pela liderança é fundamental.

Quando a criança dá sinal de indisposição constante, ou seja, nunca quer brincar com os amigos, nem nadar na praia, correr e divertir-se, os pais devem procurar algum estímulo para incentivá-la a participar nos acontecimentos infantis, principalmente porque elas têm energia de sobra para isso. Por isso, o importante é não deixar acontecer períodos de grande inactividade.

Assim como dormir bem, ter uma alimentação saudável, um período para estudo, praticar um ou mais desportos..., estar disposto a fazer actividades físicas ao longo do dia é fundamental para o desenvolvimento sadio das crianças. É uma obrigação!

Possíveis implicações da falta de exercício físico na infância:

- Obesidade

- Sedentarismo

- Problemas no desenvolvimento afectivo-social

- Falta de auto-estima

- Stress

- Empobrecimento da criatividade

- Prejuízo na coordenação motora



Agora que as férias chegaram, há que aproveitar o sol e o ar livre para brincar, jogar, correr e dançar!

domingo, 4 de julho de 2010

Direitos da Criança

Portugal ratificou a Convenção em 21 de Setembro de 1990.

A Convenção assenta em quatro pilares fundamentais que estão relacionados com todos os outros
direitos das crianças:


• a não discriminação, que significa que todas as crianças têm o direito de desenvolver todo o seu potencial todas as crianças, em todas as circunstâncias, em qualquer momento, em qualquer parte do mundo.
• o interesse superior da criança deve ser uma consideração prioritária em todas as acções e decisões que lhe digam respeito.
• a sobrevivência e desenvolvimento sublinha a importância vital da garantia de acesso a serviços básicos e à igualdade de oportunidades para que as crianças possam desenvolver-se plenamente.• a opinião da criança que significa que a voz das crianças deve ser ouvida e tida em conta em todos os assuntos que se relacionem com os seus direitos.

A Convenção contém 54 artigos, que podem ser divididos em quatro categorias de direitos:

• os direitos à sobrevivência (ex. o direito a cuidados adequados)
• os direitos relativos ao desenvolvimento
(ex. o direito à educação)
• os direitos relativos à protecção
(ex. o direito de ser protegida contra a exploração)
• os direitos de participação
(ex. o direito de exprimir a sua própria opinião)


Retirado de Unicef.pt

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Parábola do juiz e da viúva



Depois, disse-lhes uma parábola sobre a obrigação de orar sempre, sem desfalecer: «Em certa cidade, havia um juiz que não temia a Deus nem respeitava os homens. Naquela cidade vivia também uma viúva que ia ter com ele e lhe dizia: ‘Faz-me justiça contra o meu adversário.’ Durante muito tempo, o juiz recusou-se a atendê-la; mas, um dia, disse consigo: ‘Embora eu não tema a Deus nem respeite os homens, contudo, já que esta viúva me incomoda, vou fazer-lhe justiça, para que me deixe de vez e não volte a importunar-me.’» E o Senhor continuou: «Reparai no que diz este juiz iníquo. E Deus não fará justiça aos seus eleitos, que a Ele clamam dia e noite, e há-de fazê-los esperar? Eu vos digo que lhes vai fazer justiça prontamente. Mas, quando o Filho do Homem voltar, encontrará a fé sobre a terra?»

Lucas, ao longo de seu evangelho, dá destaque especial a três temas: a revelação da misericórdia de Deus, a denúncia do escândalo da divisão da sociedade em ricos e pobres, e a importância da oração. Em relação a este último tema, várias vezes ele narra momentos de oração de Jesus, bem como o incitamento aos discípulos para orarem, e apresenta duas singelas parábolas que revelam a importância da oração. Nesta parábola de hoje, os personagens são uma viúva e um juiz iníquo.
A viúva, que é a expressão da categoria dos excluídos da sociedade, representa o povo oprimido. O juiz é a expressão da classe dirigente, elitista e opressora. A insistência e a perseverança da viúva vencem a indiferença e a omissão do juiz iníquo. Se o pedido insistente da viúva demoveu o juiz iníquo de sua posição omissa, com maior razão Deus fará justiça aos seus, que a ele clamam dia e noite. É o clamor do seu povo, oprimido por um poder injusto, violento e idólatra do dinheiro.

Dicas pegas na internet

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Demonstrando carinho

Vamos aproveitar cada dia para demonstrar nosso carinho para com os nossos semelhantes.
E que cada criança de nossa aulinha seja muito querida e amada por todas nós, pois muitas delas passam por tantos problemas em seu lares e acabam por ser carentes de carinho, atenção e amor. Deus conta connosco para fazer a diferença!